Tecnologia a favor dos recém-formados na área da saúde

Inovação no compartilhamento de consultórios ajuda profissionais da saúde, como médicos, dentistas, nutricionistas e psicólogos em início da carreira

2
consultorios para profissionais da saúde recém-formados
Imagem de Hamonazaryan1 por Pixabay

O mercado de saúde no Brasil está entre os mais promissores e cresce a todo vapor. Segundo o Ministério do Trabalho, cerca de 83 mil vagas foram criadas no setor em 2018 e a estimativa é que 50% a mais de empregos sejam gerados até o final desse ano. O segmento movimenta aproximadamente R$20 bilhões por ano e emprega um total de cerca de 12 milhões de pessoas. [1]

Esses números grandiosos transformaram o cenário universitário do país. De 2015 a 2019, a quantidade de instituições de ensino que ofertam a graduação em Odontologia, por exemplo, cresceu 87%, passando de 220 para 412 faculdades, conforme divulgado pelo Conselho Federal de Odontologia.

O curso de Medicina também está entre os mais concorridos e procurados pelos estudantes. O estudo Demografia Médica 2018 do Conselho Federal de Medicina mostra que são oferecidas, anualmente, quase 30 mil vagas por 289 universidades em todo o território nacional.

Nutrição e Psicologia são outras áreas em franca expansão. Existem hoje mais de 357 mil psicólogos ativos no país e quase 146 mil nutricionistas atuando em clínicas, hospitais, consultórios e empresas.

Considerando o cenário geral, segundo o Inep, em 2018, mais de 1,2 milhão de estudantes concluíram o ensino superior no País e, se pegarmos os últimos 15 anos, as universidades públicas e privadas injetaram 11 milhões de formandos no mercado de trabalho. Desses, 5 milhões escolheram as 10 carreiras mais procuradas, entre elas Medicina e Psicologia. [2]

Com isso, a dúvida que fica é: depois do diploma, quais são os desafios desses milhões de recém-formados, especialmente os profissionais autônomos, como médicos, dentistas, nutricionistas e psicólogos?

Atuar em clínicas e consultórios é uma escolha natural e estratégica, mas tem seus desafios.

O momento da iniciação profissional é sempre muito delicado e, por isso, o formando deve analisar alguns fatores com calma e bastante critério. A área de atuação de profissionais da saúde, como médicos, dentistas, nutricionistas e psicólogos, vai desde hospitais, postos de saúde e prontos-socorros, a clínicas e consultórios. Uma parcela acaba atuando em empresas, como é o caso de psicólogos que são muito procurados para as áreas de RH, e  nutricionistas que podem trabalhar em restaurantes, escolas, dentre outras corporações.

Mas um dado da FEHOESP mostra uma tendência. As clínicas particulares cresceram 8,1% e os consultórios apresentaram um aumento de 4,1% em 2017 [3], o que demonstra que essa é uma escolha bastante natural e estratégica entre os profissionais da área da saúde. No entanto, os recém-formados esbarram em diversas dificuldades quando optam por seguir esse caminho, como encontrar um local adequado para atuar, lidar com o alto investimento em materiais e equipamentos, além da burocracia para alugar um espaço. Mas já existem maneiras de viabilizar um consultório para profissionais da saúde recém-formados.

Economia colaborativa é um caminho e compartilhar consultórios ganha cada vez mais adeptos

A economia compartilhada ou economia colaborativa já é realidade no país. De acordo com um levantamento do SPC Brasil, 89% dos brasileiros já experimentaram alguma modalidade de serviço e aprovaram. Leia mais em Consumo Colaborativo é a nova tendência para os brasileiros.

O compartilhamento sempre existiu, mas de maneira informal e entre conhecidos. Nesse sentido, a tecnologia possibilitou a ampliação exponencial e sistematização dessa forma de consumo, trazendo inúmeros benefícios para a população em geral.

Para médicos, dentistas, nutricionistas, psicólogos, dentre outras profissões da área da saúde, um dos destaques é o compartilhamento de consultórios. A CliniClick, uma empresa de São Paulo, desenvolveu uma plataforma própria, online, que conecta os profissionais da saúde que querem alugar uma sala pronta para atendimento, a donos de consultórios que têm espaços ociosos.

“Fizemos uma pesquisa e identificamos que 35% dos espaços das clínicas e consultórios da capital paulista estão ociosos, parados, sem nenhuma utilização. E isso é custo para o proprietário. Por outro lado, vemos muitos profissionais querendo alugar salas prontas, mas com dificuldades para encontrar”, comenta Rafael Valente, CEO e um dos fundadores da CliniClick.

O lançamento dessa plataforma possibilitou ao recém-formado sair da faculdade com acesso a salas prontas para alugar e já começar a exercer sua profissão. Rafael diz que o grande diferencial para quem está no início de carreira é a sublocação de consultório por período, sem a necessidade de fiador, depósito ou seguro.

“Quando começa a trabalhar o profissional ainda está construindo a sua carteira de pacientes. Então, ele pode fazer o aluguel do consultório somente por um ou dois períodos na semana e aumentar gradativamente conforme for evoluindo na profissão.”, explica. Ele informa ainda que o processo de sublocação ficou bem mais simples com o auxílio da tecnologia. “Já tivemos o caso de um psicólogo agendar visita e começar a atender em apenas 3 dias”, completa.

Um futuro mais colaborativo entre os profissionais

Sabemos que a cultura do compartilhamento é uma tendência global com vários benefícios, principalmente para o meio ambiente e um melhor convívio entre as pessoas. Para pensarmos nisso, propomos aqui um exercício simples de reflexão:

  1. Imagine que cada um desses milhares de recém-formados que irá ingressar no mercado, abra o seu próprio consultório.
  2. Ele precisa atender em duas regiões diferentes da cidade na mesma semana e, por causa disso, tem que usar outro consultório alugado.
  3. Para atender, no caso de um dentista, ele tem que equipar as duas salas com cadeiras, ferramentas e o mínimo de estrutura.
  4. Por fim, ele tem que custear tudo isso sozinho e, nos dias em que está fora, o seu consultório fica parado.

Qual o resultado? Desperdício dos recursos naturais e financeiros, além de altos investimentos que a maioria dos recém-formados não pode fazer. Por isso, economia compartilhada é um novo conceito de vida, que está sendo inserido no dia a dia de grande parte das pessoas. Poupar tempo e dinheiro, contribuir para preservação dos recursos naturais, ajudar outras pessoas e conhecer gente nova é o que motiva e faz a roda girar.

Médicos, dentistas, psicólogos, nutricionistas e outros profissionais da saúde podem aproveitar muito dessa cultura emergente com o compartilhamento de consultórios. Rafael Valente, da CliniClick, conta que já teve o caso de um dentista recém-formado que estava com receio de iniciar atendimento sozinho. “Quando ele visitou a sala que queria alugar, a proprietária se colocou à disposição para ajudá-lo sempre que tivesse alguma insegurança num procedimento ou diagnóstico. Isso o fez ficar muito mais tranquilo e ter uma segurança adicional para dar o primeiro passo e começar a atender”, relata.

O segredo é profissionalizar para que o compartilhamento seja seguro

Para que mais proprietários possam disponibilizar seus consultórios para alugar e mais profissionais possam considerar o aluguel de consultório como uma alternativa para exercer o seu trabalho, segurança e profissionalismo precisam estar presentes.

No caso da CliniClick, a inovação não está somente em disponibilizar uma plataforma para conectar os profissionais. Está principalmente em criar um processo inteligente e seguro. Por exemplo, a empresa oferece um contrato específico para compartilhamento, que busca conciliar as demandas dos locadores e locatários da forma mais justa possível, dando segurança para ambas as partes. Inclusive, no contrato de locação já está incluso um seguro de danos para a sala durante o período locado. Além disso, a assinatura do contrato é online, com validade jurídica, para agilizar a formalização. O pagamento é antecipado, ou seja, o profissional paga o aluguel mensal e usa, excluindo-se a necessidade de fiador, depósito ou fiança no processo.

A tecnologia, aliada à cultura do compartilhamento, possibilita que empresas invistam em inovação e lancem novos serviços, como esse da CliniClick que está tornando mais viável a sublocação de consultório por um jovem médico, dentista, nutricionista e psicólogo que acaba de ingressar no mercado de trabalho.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde!!

    Tenho um consultório onde loco salas para esses profissionais, gostaria de saber como faço psra divulgar meu espaço.

    • Oi Ivete, tudo bem?
      Claro, pode falar com o nosso atendimento por telefone ou WhatsApp: (11) 94220-4646. Ficamos à disposição! Abs,

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui